#PUBLI

Conheça o Ysos App

O ysos é o app oficial para casais, solteiras e solteiros marcarem encontros

com pessoas reais sem enrolação, sem tabus, com SIGILO e segurança.

  • Casal Libido

Submisso(a) com prazer: O que você precisa saber para respeitar o BDSM.

B.D.S.M. Você provavelmente já deve ter se deparado com a sigla por aí. Famosa em filmes, séries e sites adultos comumente associda ao famoso jargão que diz que "um tapinha não dói" e recentemente "descoberto" pelas produções de cinema como em "Cinquenta Tons de Cinza" e séries como "365". Quse todo mundo curte uma mãozinha presa das costas, até mesmo um boquete em pé, com ela ajoelhada aos seus pés... Mas o que é BSDM?

Primeiro vamos desmistificar essa sigla para quem ela ainda seja um mistério:

  • Bondage é a prática mais conhecida desse fetiche, de amarrar o parceiro. Existem várias técnicas e cada uma com objetivo diferente, podendo ser com cordas, correntes, algemas.

  • Disciplina, claro, está relacionada ao ato de disciplinar. Normalmente essa prática é feita através de tapas ou espancamentos, mas também pode ser feita impedindo a pessoa de, por exemplo, comer a comida favorita ou assistir televisão.

  • Dominação e submissão nada mais é do que quando uma uma pessoa se submete a autoridade de outra. É o caso de alguém que permite que outra pessoa o amarre, humilhe, espanque e mande fazer coisas, por objetivos que podem ser ou não só sexuais.

  • Sadismo dentro do sexo BDSM é bem diferente do que todos conhecem por aí. Não tem nada a ver com atos cruéis, que envolvam crimes ou algo relacionado, na verdade, são pessoas que gostam de um tipo de sexo seguro e consentido onde podem causar dor em seus parceiros.

  • Masoquismo é o contrário do sadismo, e a pessoa gosta de sentir dor, assim ela tem prazer.

Para algumas pessoas tudo isso pode não passar de depravação e desculpa para abuso. Mas a prática do BDSM, seja em qual modalidade for, tem como sua principal regra, o consentimento, incluse resguardando os praticantes com uma frase de segurança combinada para que, se em qualquer momento a pessoa se sinta desconfortável com algo, possa usá-la para encerrar qualquer ato em curso.


O leque de práticas/fetiches relacionados ao BDSM é imenso. Dentre as principais estão:


Asfixia, Ball Busting, Bondage, Bondassage, Brat, Creampie, Cuckold, Cuckqueen, Chuva Marrom, Dominatrix, Edge Play, Exibicionismo, Face Fuck, Fisting, Femdom, Gag Ball, Golden Shower, Hotwife, Kink, Sadomasoquismo...


Agum desses nomes parece familiar pra você? Se você lembrar de mais algum, deixe nos comentários (risos). Pode pareceer estranho para quem não curte, imaginar que algumas pessoas possam se sentir excitadas em fazer xixi em outras ou em receber uma boa "mijada" também, imagina então uns beos chutes nas bolas? Mas pasmem, alguns homens podem chegar ao orgásmos com esta prática, para eles, extremamente satisfatória.


Mas não estou aqui para discorrer tudo sobre o BDSM (sim, ainda tem muito a ser dito, mas não sou especialista neste assunto pra isso), se vocês quiserem posso estudar o assunto e fazer um post mais completo pra vocês. Mas no título do post, o que prometi foi dizer o que você precisa saber para respeitar este universo, suas práticas e seus praticantes.


A primeira coisa que você precisa ter em mente é que tudo que acontece nesta esfera, assim como em todas as outras envoltas no Meio Liberal, é inteiramente consentido por todas as pessoas envolvidas. A segunda é que se não se refere a mim, não é da minha conta. Existem pessoas extreamentes intolerantes a dor, assim como existem outras extremamente tolerantes. Isso não somente se refere a dor, afinal, nem todas as práticas do BDSM são sobre isso. O que não devemos fazer é medir a satisfação e insatisfação dos outros pela nossa.


Confesso que sou uma pessoa extremamente aversa a submissão, tentar me colocar numa situação nessa condição poderia terminar em violência. Saí de três empregos, porque os "chefes" queriam em algum momento me colocar numa situação de humilhação, seja com um grito ou coação, principalmente na frente de outras pessoas e acabaram levando o dobro do que tentaram me fazer na mesma hora. Um até ficou envergonhado e pediu pra falar em particular, mas comigo é fez aqui, pagou aqui (o resultado é que fui demitido, claro. rs). Elogie em público, repreenda em particular, não o contrário.


Mas o que eu quero dizer com isso? Você não curte? Não faça. Mas respeite as fantasias e fetiches alheios. Assim como os seus são respeitados. Não importa se é uma troca de casal ou uma bica no saco, sempre tem alguém que curte e outro que não. Todos no Meio Liberal, já vivemos o preconceito do lado de fora, por de ter escolhido este estilo de vida. Não precisamos, da posição que estamos, disseminar o ódio e preconceito aqui dentro.


E você? O que pensa sobre isso?

37 visualizações

Leia mais